Logon
Blog

O perigo das pequenas aglomerações: as pequenas bolhas

Encontros nas férias de verão podem ser grandes propagadoras do vírus

​​​


O novo coronavírus fez com que milhares de pessoas ficassem em casa durante meses. Após um longo período de quarentena, agora vemos um retorno das atividades no país. Com a retomada do funcionamento das empresas e do comércio no Brasil, temos acompanhado uma tendência cada vez maior a aglomerações.

Mesmo que a flexibilização tenha acontecido, é necessário ainda seguir os protocolos de saúde – uso correto da máscara, higienização das mãos, distanciamento social e ambientes com boa circulação de ar. O retorno sem conscientização tem preocupado especialistas, por conta do número crescente de casos de Covid-19 no país. Agora, com uma possível segunda onda, é preciso continuar tendo cautela e precaução.

Portanto, será que é seguro encontrar familiares e amigos durante as férias de verão? “Do ponto de vista da saúde, ainda não é recomendável um encontro em família e amigos, pois sabemos que poucos conseguem seguir totalmente à risca as regras de distanciamento social, e os números de casos ainda estão aumentando", orienta a Dra. Ana Helena Germoglio, infectologista do Hospital Águas Claras.

A médica salienta ainda que, mesmo em pequenos grupos, há o perigo de contágio: “Você tira a máscara para comer, pode acabar esquecendo e coloca a mão na boca ou no nariz sem lavar antes, o que pode facilitar a contaminação.". O reflexo disso pode ser um número ainda maior de casos no período de férias com mais viagens e passeios.


O que são as chamadas pequenas bolhas?

As pequenas bolhas são pequenos grupos de amigos ou familiares que se encontram, muitas vezes sem máscara ou sem realizar o distanciamento social. Por não seguirem à risca essas medidas preventivas, acabam se contaminando. Eles acreditam que, por se conhecerem e não estarem apresentando sintomas naquele momento, não vão contrair ou transmitir o vírus. Mas é aí que mora o perigo. Caso um deles esteja assintomático, pode contaminar as outras pessoas com quem teve contato.


Entenda por que é perigoso encontrar amigos e familiares nesse momento

Como o vírus ainda está em circulação e as pessoas estão sendo infectadas, reduzir as medidas de prevenção pode ocasionar aumento do contágio. Não aglomerar e não encontrar esses pequenos grupos ajuda a reduzir as possibilidades de transmissão. Ainda não é hora de relaxar com os cuidados. Essa é a melhor maneira de preservar a sua saúde, dos seus familiares e dos seus amigos.

“A recomendação geral é a mesma de sempre, evitar aglomerações, mesmo que pequenas, usar máscara e higienizar as mãos", continua a médica. Porém, ela ressalta que se, mesmo assim, as famílias forem fazer passeios com mais pessoas, é necessário manter o distanciamento, principalmente na hora das refeições, quando é necessário retirar a máscara.


A pandemia não acabou: reforce os cuidados

Prevenir ainda é a melhor solução neste momento. Esteja atento a alguns cuidados.

•          Use máscara. A máscara protege contra as gotículas que são expelidas quando alguém fala, espirra ou tosse. Mas lembre-se de que ela precisa ser trocada a cada três horas, segundo recomendações da Anvisa.

•          Restrinja também o contato social e mantenha sempre uma distância mínima de 2 metros da outra pessoa.

•          Sempre que for espirrar ou tossir, use a dobra do cotovelo para cobrir a boca ou use lenços descartáveis (se possuir).

•          Higienize as mãos e os objetos regularmente.

​ 


Veja mais

Nosso site usa cookies para melhorar a navegação. Conheça o nosso Portal de Privacidade .